Notícias

Tudo sobre o lançamento da Apple, iPhone 6S e Plus:

Novos smartphones da Apple, o iPhone 6S e o iPhone 6S Plus foram anunciados ontem (9) com diversas novidades. Os telefones atraíram a atenção pelo novo acabamento, desta vez em ouro rosa; a permanência do armazenamento de 64 GB como melhor opção; e o 3D Touch, novo sensor presente nas telas de 4,7” e 5,5”.

Chegou a hora de destrinchar as informações que a própria fabricante revelou sobre os novos telefones. Será queiPhone 6S entorta quando fica no bolso traseiro da calça? Quando será possível comprá-lo no Brasil? Dividimos esta matéria especial em tópicos para responder a cada uma das perguntas mais importantes e para que você conheça tudo sobre o iPhone 6S.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que o iPhone 6S e iPhone 6S Plus são evoluções do iPhone 6 eiPhone 6 Plus – os dois celulares mais vendidos da história da Apple, segundo informações da própria empresa. O desenho industrial permanece o mesmo. Em outras palavras, vale neste caso o velho ditado “cara de um, focinho de outro”.

iPhone 6S tem tela de 4,7 polegadas e iPhone 6S Plus, de 5,5 polegadas (Foto: Divulgação)

iPhone 6S tem tela de 4,7 polegadas e iPhone 6S Plus, de 5,5 polegadas (Foto: Divulgação)

O 3D Touch é novo sensor de pressão na tela do smartphone que exibe um menu com opções avançadas. Por exemplo, na tela inicial do iOS 9, o usuário pode tocar no display com mais força sobre o ícone de um determinado aplicativo para ver, ali mesmo, algumas ações rápidas. Na demonstração do app Câmera, o 3D Touch acionava o menu com as possibilidades de fazer uma foto com a câmera principal (agora de 12 megapixels) ou uma selfie (com a câmera frontal de 5 megapixels).

A tecnologia é similar ao Force Touch presente nos MacBooks mais novos: o trackpad do laptop entende o nível de pressão e reage, apresentando novos menus. Embora a Apple tenha maiores possibilidades de popularizar o recurso, a Huawei merece os cumprimentos por ter apresentado um celular com Force Touch ainda na IFA 2015. O TechTudo testou o Huawei Mate S durante a feira de Berlim e contou suas primeiras impressões.

O iPhone 6S tem quanto de armazenamento?

Em termos de memória interna, ele continua com as mesmas opções de antes: 16 GB, 64 GB e 128 GB. O iPhone 6S não tem versão com 32 GB.

3D Touch oferece menu com opções avançadas no app de câmera Foto: Divulgação/Apple

3D Touch oferece menu com opções avançadas no app de câmera (Foto: Divulgação/Apple)

O gesto da Apple em não oferecer o modelo com 32 GB é visto por alguns especialistas como uma forma de “gentilmente” forçar os clientes a gastarem US$ 100 a mais no modelo de 64 GB – uma vez que 16 GB num smartphone atualmente seria recomendável se o aparelho oferecesse slot para cartão de memória do tipo MicroSD. Não é o caso do telefone da Apple.

A Apple não informou o total de memória RAM presente nos novos iPhone. Especula-se no mercado que o iPhone 6S e o 6S Plus tenham 2 GB de RAM, o que seria o dobro do encontrado no iPhone 6 e iPhone 6 Plus. A confirmação só será possível quando a empresa começar a vender os smartphones, em 25 de setembro. Empresas especializadas em assistência técnica costumam desmontá-los para mostrar os componentes internos – como no caso do iPhone 5.

O iPhone 6S entorta?

A pergunta é pertinente depois que o iPhone 6 e o 6 Plus sofreram com o chamado “bendgate”, com diversos relatos de consumidores que colocaram o celular no bolso da calça e viram sua carcaça se curvar. De acordo com a Apple, a geração 2015 do iPhone conta com uma liga de alumínio série 7000.

iPhone 6S tem liga de alumínio série 7000 (Foto: Divulgação/Apple)

A promessa é de um iPhone 6S que não entorta, pois o material é o mesmo utilizado pela indústria aeroespacial. Algumas variantes da série 7000 são utilizadas para construir bicicletas, por exemplo – meio de transporte que requer um metal bastante resistente a impactos.

A tela do iPhone 6S quebra? Ela é Full HD?

Não existe vidro completamente à prova de impactos. Ainda assim, a Apple diz que o iPhone 6S e Plus possuem o vidro mais forte já utilizado em um smartphone. Como a fabricante é responsável por todo o seu processo produtivo, inventou uma forma especial de troca iônica dupla que nenhuma outra empresa de celulares é capaz de reproduzir.

iPhone com acabamento prateado e dourado Foto: Divulgação/Apple

iPhone com acabamento prateado e dourado (Foto: Divulgação/Apple)

As promessas da Apple para o vidro dos novos iPhones são elevadas. Entretanto, a empresa não divulgou que ele é “resistente à água” ou “à prova d’água”, como já é encontrado no Xperia Z5/Z5 Premium. Ao menos não há nenhuma informação até o momento sobre proteção seguindo o padrão IP, aquele utilizado pela indústria para determinar se um telefone pode entrar dentro da água.

O iPhone 6S tem display de 4,7 polegadas, mesmo tamanho daquela presente no iPhone 6. A chamada Tela Retina HD oferece resolução de 1334 x 750 pixels, com densidade de pixels de 326 ppi.

Por sua vez, o iPhone 6S Plus permanece com display de 5,5 polegadas característico do iPhone 6 Plus. Sua Tela Retina HD tem resolução Full HD de 1920 x 1080 pixels. A densidade de pixels é de 401 ppi. Ambos são widescreen.

Qual é o peso dos novos iPhones?

Durante o keynote de lançamento, o CEO Tim Cook não fez referências ao iPhone 6S ser “o mais leve já feito pela Apple”. Nem poderia dizê-lo: o 6S e o 6S Plus ficaram mais pesados do que a geração anteror.

O iPhone 6S pesa 143 gramas, contra 129 gramas do iPhone 6. Já o iPhone 6S Plus pesa 192 gramas – também é mais do que os 172 gramas do iPhone 6 Plus lançado em 2014.

A câmera do iPhone 6S é boa?

Somente testes especializados podem confirmar a qualidade da câmera de 12 megapixels do smartphone da Apple. Ainda assim, a fabricante fez importantes alterações em relação ao iPhone 6. A mais evidente delas é o salto na resolução: o iPhone 6S tem câmera de 12 megapixels, bastante superior à de 8 megapixels do iPhone 6. O aumento foi de 50% na quantidade de pontinhos que o sensor é capaz de registrar.

A Apple continua apostando na técnica conhecida como HDR. Com ela, o telefone faz três fotos simultaneamente e as combina para que o resultado seja o melhor possível. A imagem final tende a ter cores vibrantes, sem iluminação “estourando”.

iPhone 6S e iPhone 6S Plus trazem câmera de 12 megapixels Foto: Divulgação/Apple

iPhone 6S e iPhone 6S Plus trazem câmera de 12 megapixels (Foto: Divulgação/Apple)

A lente do iPhone 6S é coberta por cristal safira e oferece abertura de f/2.2. Há estabilização da imagem – para evitar tremidos – e redução de ruído em fotos com ambientes escuros ou pouco iluminados. O GPS marca presença para registrar a posição geográfica exata de cada foto feita com o dispositivo.

Donos do iPhone 6S e 6S Plus também estarão bem servidos na hora de gravar vídeos: a câmera reformulada da Apple é compatível com filmagem em 4K – ideal para quem está pensando em comprar uma TV 4K, com maior resolução.

O resultado final são imagens com resolução de 3840 x 2160 pixels a 30 quadros por segundo. O iPhone 6S também filma em resolução Full HD (1080p) a 60 quadro por segundo. Quem quiser economizar dados na hora de mandar seus vídeos ainda poderá fazer as gravações com resolução HD (720p) a 30 quadros por segundo.

O iPhone 6S ainda tira fotos enquanto filma em 4K. Nestes casos, as fotos finais terão 8 megapixels (mesma qualidade da foto nativa do iPhone 6 em sua resolução máxima).

A função de câmera lenta (slow motion, em inglês) possibilita filmagens a 120 ou 240 quadros por segundo.

Novo iPhone 6S, lançado em 2015, é mais pesado que o iPhone 6 de 2014 Foto: Divulgação/Apple

Novo iPhone 6S, lançado em 2015, é mais pesado que o iPhone 6 de 2014 (Foto: Divulgação/Apple)

A câmera frontal de 5 megapixels também faz vídeos em HD de 720p. Em ambientes escuros, a tela automaticamente vai se acender para elevar a quantidade de luz, numa função que a Apple chama de Flash Retina. A câmera de selfies tem timer e detector de rostos.

O sensor de digitais do iPhone 6S é bom?

Podemos afirmar categoricamente que o sensor de impressões digitais presentes no iPhone 6, da geração anterior, é muito bom. A Apple sustenta que o Touch ID do iPhone 6S ficou duas vezes mais veloz. Ou seja, o consumidor pode esperar um desbloqueio de tela mais rápido.

O Touch ID também é usado no iOS 9 para autorizar transações financeiras com cartão de crédito e com o Apple Pay, o sistema de pagamentos virtuais da Apple.

iPhone 6S tem sensor de digitais Touch ID melhorado Foto: Divulgação/Apple

iPhone 6S tem sensor de digitais Touch ID melhorado (Foto: Divulgação/Apple)

Quando é o lançamento do iPhone 6S?

As encomendas de pré-venda da Apple se iniciam em 12 de setembro nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, China e outros mercados de economia forte. A Apple não informou quando os brasileiros poderão encomendar o iPhone 6S.

Os aparelhos serão entregues e também serão vendidos em lojas a partir do dia 25 de setembro nos mesmos países citados acima. Da mesma forma, a Apple brasileira não informou quando o iPhone 6S e o 6S Plus chegarão ao território nacional.

iPhone 6S branco na tela de recebimento de ligação Foto: Divulgação/Apple

iPhone 6S branco na tela de recebimento de ligação (Foto: Divulgação/Apple)

Tradicionalmente o iPhone é lançado no Brasil no fim do ano, com foco nas compras de Natal. O jeito que tem é esperar as operadoras Vivo, Claro, TIM e Oi iniciarem os cadastros para comprar o smartphone.

Qual o provável preço do iPhone 6S no Brasil?

Esta não chega a ser a pergunta de um milhão de dólares, mas certamente vale “milhares de reais”. O iPhone 6 (lá de 2014) não é um smartphone barato. O iPhone 6S deve seguir a mesma linha de preços praticados para a geração anterior do telefone:

– R$ 3.499 pelo iPhone 6S de 16 GB;
– R$ 3.899 pelo iPhone 6S de 64 GB;
– R$ 3.899 pelo iPhone 6S Plus de 16 GB;
– R$ 4.299 pelo iPhone 6S Plus de 64 GB.

Entretanto, é importante destacar que qualquer suposição sobre os valores cobrados pelos smartphones é uma aposta. A Apple Brasil não informou quanto eles vão custar no mercado brasileiro, nem em quais condições. É altamente provável que clientes de pós-pago das prestadoras de telefonia celular encontrem preços mais em conta, desde que aceitem assinar um contrato de 12 meses (tempo máximo permitido pela Anatel para um acordo do tipo).

Quais são as cores do iPhone 6S?

A Apple trabalha com quatro acabamentos distintos para o telefone:

– Frente branca e traseira prateada;
– Frente branca e traseira dourada;
– Frente branca e traseira em ouro rosado;
– Frente preta e traseira em cinza espacial.

iPhone 6S ganhou opção de cor rosa Foto: Divulgação/Apple

iPhone 6S ganhou opção de cor rosa (Foto: Divulgação/Apple)

A chegada do iPhone 6S afetou diretamente as cores do modelo anterior: a Apple passou a vender o iPhone 6 e iPhone 6 Plus somente nas combinações branco/prateado e preto/cinza espacial O preço dos iPhones antigos também passou por redução no Brasil, enquanto o dos iPads subiu. Não há detalhes sobre a chegada e preço brasileiro do iPad Pro (com tela de 12,9”).

Link da matéria original

AddThis Social Bookmark Button

10 imagens do novo prédio da Apple em Cupertino

Veja mais fotos

AddThis Social Bookmark Button

iPhone 5C, o popular da Apple.

O iPhone 5C tem corpo de plástico e cinco cores para escolher. Basicamente, é o atual modelo 5 colorido, lançado principalmente para combater a Samsung na China e na Índia. - Stephen Lan/Reuters

 

A curiosidade dos fãs da Apple foi mais uma vez saciada ontem à tarde, com o anúncio da nova geração do iPhone. Dessa vez, porém, confirmando os boatos dos últimos dias, a novidade veio em dose dupla e multicolorida. Quando as luzes do auditório da sede da empresa, em Cupertino, na Califórnia, se apagaram, no telão ao fundo do palco brilharam lado a lado as imagens do iPhone 5S, o novo topo de linha, e do iPhone 5C, o primeiro smartphone "popular" da empresa, que será vendido nos Estados Unidos a partir de US$ 99, com 16GB, em planos de dois anos vinculados às empresas de telefonia. Desbloqueado, o modelo de 16GB custará US$ 550. O de 32GB, US$ 650. 
AddThis Social Bookmark Button

Jobs - O filme

 

Filme : Jobs
Personalidades : Ashton KutcherDermot MulroneyJosh GadMatthew ModineJohn Getz

Trailer


 

AddThis Social Bookmark Button

OS primeiros passos para desenvolver para IOS

 


Os primeiros passos para desenvolver para iOS

Sempre sou questionado de qual computador é necessário para programar para iOS, se apenas em um Mac, ou se existe outra ferramenta de desenvolvimento além do Xcode, etc. E por isso resolvi colocar neste Post os primeiros passos para quem pretende iniciar no mundo de criação de aplicativos para iPhone e iPad.

 

 

 

 

1º) Ter um computador MAC
Disso ninguém pode fugir, se quiser fazer uso das ferramentas da Apple para desenvolvimento, será necessário investir em um computador Mac, mas não vejo isso como um problema, pois o preço já não é mais aquele absurdo em relação a um PC com Windows, e se comprado na Apple Store Online Brasil, é possível parcelar em 12x com frete gratuito, e não se esqueça, é um investimento que está fazendo. Já sobre a configuração, não precisamos de um Mac Pro, mas sim de qualquer máquina Apple vendida atualmente, como um Mac Mini, que já vai lhe atender inicialmente muito bem.

2º) Cadastro de Desenvolvedor Apple
Para ter acesso à ferramenta de desenvolvimento, documentação, exemplos de código, e fórum de discussão da Apple, é necessário o cadastro no iPhone Developer Program, que em um primeiro momento pode ser feito gratuitamente, mas com o tempo sentirá necessidade do cadastro pago de US$ 99,00 anuais, que lhe dará direito de testar o seu aplicativo em um aparelho real, e principalmente para publicar o mesmo na iTunes App Store.

3º) Softwares de Desenvolvimento
Depois de cadastrado como desenvolvedor Apple, terá direito ao download gratuito do iOS SDK 4.1, que nada mais é que um pacote com os softwares necessários para trabalhar com iOS, e fazem parte dele:
Xcode: Ambiente de desenvolvimento, que seria o equivalente ao Eclipse do Java ou o Visual Studio do dotnet;
Interface Builder: Para criação das interfaces(telas) do iPhone ou iPad;
Instruments: Ferramenta de análise de consumo de memória, performance, etc. Se quer um App de qualidade seu uso é indispensável;
iPhone Simulator: Para “simular” como o aplicativo vai rodar e se comportar em um iPhone ou iPad, mas tenha em mente a necessidade de testar em um aparelho real, que pode ser pelo menos um iPod touch, pois o simulador estará utilizando o processamento e memória da sua máquina, e com isso dificilmente verá problemas de consumo de memória ou de lentidão na abertura do aplicativo, já no aparelho(device) isso é imediato.

OBS: O Xcode é compatível apenas com o Mac OS X 10.6 Snow Leopard em diante.

4º) Material para estudo
Estudar é o que mais fará, mesmo depois de estar trabalhando profissionalmente com iOS, pois sempre tem uma nova API que será lançada, uma funcionalidade diferente pedida pelo cliente, e como não é possível saber tudo, o estudo será constante. Mas não se preocupe, praticamente tudo o que precisa é gratuito, tirando é claro algum livro de seu interesse.
O que recomendo para quem está iniciando:
Stanford on iTunes U (gratuíto): Curso ministrado na Universidade de Stanford, todo gravado e disponibilizado para download no iTunes U, tendo no total uns 24 vídeos de 1h cada, onde cada vídeo trata de um tópico diferente, como detalhes da linguagem, uso do Xcode, persistência de dados, casos de sucesso, etc, é realmente fantástico este curso, foi com ele que iniciei meus estudos nesta linguagem, mas está em Inglês.
Apple Developer Forums: Eu acho o melhor local para tirar dúvidas na atualidade, pois muitas respostas são dadas além da comunidade, também por funcionários da própria Apple, como um código do WWDC 2010 que não estava funcionando, e o próprio desenvolvedor da Apple que disponibilizou para download postou a solução, é realmente excelente. Claro, senão achar lá, ai temos o Google.
- Livro “Programming in Objective C 2.0” (US$: 29.69 em Papel e US$ 25.75 para Kindle): Eu considero um excelente livro, principalmente para quem está vindo de outras linguagens como C#, que era o meu caso, que explica do básico da linguagem até o desenvolvimento para iOS.
iPhone Human Interface Guidelines: Documentação da Apple sobre usabilidade, padrões de interface, tamanho dos ícones e imagens, etc. Da documentação da Apple este é o primeiro que precisa conhecer, pois assim já terá uma idéia de como criar aplicativos respeitando os padrões da Apple.

Espero que gostem deste Post, e dúvidas ou sugestões utilizem o formulário de comentário abaixo. E em breve posts com dicas e macetes do dia a dia com o Xcode.

Por: Devmac/Rodrigo schmitt

AddThis Social Bookmark Button

Apple anuncia iPad mini

A Apple apresentou  ontem seu novo tablet, o iPad mini. Com tela de 7,9 polegadas e resolução de 1.024 x 768, é menor que seu irmão maior, cuja tela tem 9,7 polegadas, e maior que os concorrentes diretos  Google Nexus 7 e Kindle Fire, cujas telas têm 7 polegadas. O aparelho será comercializado em seis versões a partir do dia 2 de novembro, por preços entre US$ 329 (cerca de R$ 660) e US$ 659 (R$ 1.320).

Em relação aos tablets de 7 polegadas, a área visível de tela do iPad mini é 67% maior, segundo a Apple, o que deve significar uma melhor experiência de leitura de páginas da web quando o aparelho é usado na horizontal.

AddThis Social Bookmark Button

As 20 lições de Steve Jobs

Vaidoso, perfeccionista, difícil de lidar. Mas um gênio, na definição até de concorrentes implacáveis. O sucesso de Steve Jobs não se limitou à Apple.

Em 1995, seu pequeno estúdio de animação, que se transformaria na premiada Pixar, produziu Toy Story, o primeiro longa-metragem de animação feito inteiramente por computador. Outros sucessos viriam, como Vida de Inseto, Monstros S.A. e Procurando Nemo, até que em 2006 a Disney levou a Pixar por 7,4 bilhões de dólares.

A Apple na era Jobs, principalmente na segunda fase de sua gestão, deu saltos incríveis. Desde que reassumiu como presidente, em 1997, cargo do qual fora destituído doze anos antes, as ações da companhia saltaram de 5 para mais de 370 dólares. Seu valor de mercado alcançou a cifra impressionante de 350 bilhões de dólares.

Com essa lista de realizações, o que Steve Jobs tem a ensinar para as empresas e os empreendedores? O jornalista americano Leander Kahney reuniu algumas lições em seu livro A Cabeça de Steve Jobs. Selecionamos aqui 20 delas, pinçadas das boas histórias do livro.

1 – Encare as decisões difíceis e não se deixe levar pela emoção. Avalie o problema de forma objetiva, mas jamais tenha medo de errar

2 – Busque informações e fuja das suposições. Faça sempre uma avaliação completa e baseie suas decisões nesses dados. É duro, mas justo

3 – Trabalhe em equipe. Evite colocar toda a carga das decisões difíceis sobre as suas costas

4 – Foco, foco, foco. Focar é o mesmo que dizer não. A Apple sempre concentrou seus recursos em um pequeno número de projetos, mas muito bem executados

5 – Seja quase um déspota. Afinal, alguém tem que dar as ordens

6 – Gere alternativas para escolher a melhor. Jobs sempre insistiu com a equipe para ter opções e as descartava sem muita discussão

7 – Simplifique. Fuja do complexo e diga não ao supérfluo

8 – Crie os projetos pixel a pixel. Desça até os mínimos detalhes. Jobs se prendia a miudezas tidas como insignificantes por muitos CEOs

9 – Não tenha medo de recomeçar. Valeu a pena refazer o MacOS X, mesmo à custa do trabalho de mil programadores por três anos

10 – Não dê muito ouvidos a seus compradores. Eles provavelmente ainda não sabem o que querem

11 – Demita os idiotas. Funcionários talentosos são uma vantagem competitiva para qualquer empresa

12 – Se perder o barco, trabalhe para recuperar o tempo perdido. Jobs não percebeu a revolução da música digital no seu início. Mas criou um modelo de negócios vencedor

13 – Conecte-se, estude. Uma cultura corporativa é feita de insights. Conecte-se a diferentes tribos e estude emas desvinculados ao trabalho

14 – Gere e Teste. As interfaces revolucionárias do iPod e do iPhone foram descobertas por tentativa e erro

15 – Seduza. Jobs sabia ser um grande sedutor quando necessário

16 – Faça as perguntas certas. Mas duvide sempre das respostas

17 – Defina prazo e cobre. Jobs queria o iPod nas lojas no outono de 2001. A equipe teve seis meses para lançá-lo

18 – Busque oportunidades. A Apple não estava no negócio de dispositivos eletrônicos. Curioso, Jobs queria entender esse mercado. E o dominou

19 – Queime os navios. Jobs matou o mais popular iPod para dar lugar a um modelo mais fino

20 – Evite as concessões. A obsessão de Jobs por excelência criou um singular processo de criação que gerou uma família de produtos inovadores

AddThis Social Bookmark Button

Morte de Steve Jobs completa um ano


Valor de mercado da Apple quase dobrou neste período, mas será que Tim Cook vai manter o ritmo de inovação imposto por Jobs?

 

Morte do cofundador da Apple, Steve Jobs, completa um ano nesta sexta-feira. Jobs faleceu no dia de 5 de outubro de 2011, aos 56 anos, após conviver por anos com um câncer no pâncreas identificado em 2004.

Coincidentemente, a morte de Jobs aconteceu um dia após a apresentação do iPhone 4S. Duas semanas antes, no dia 24 de agosto, ele já havia renunciado ao cargo de CEO da empresa.

Apesar de ter perdido seu principal mentor, a Apple entrou em sua fase mais próspera após a morte de Jobs.
Neste um ano sob a liderança de Tim Cook, o preço das ações da Apple atingiram o ápice de 700 dólares, com o início das vendas do iPhone 5.

Com isso, o valor de mercado da empresa fundada em 1976 chegou à marca dos 660 bilhões de dólares – crescimento de 74% em relação ao valor registrado na data da morte de Jobs.

Ao mesmo tempo, a marca Apple foi a que mais se valorizou neste ano, atingindo uma valor de 76,5 bilhões de dólares – crescimento de 129%, segundo relatório da empresa Interbrand. Com isso, a Apple deixou para trás concorrentes como Amazon, Samsung e Oracle, que tiveram suas marcas valorizadas em 46%, 40%, e 28%, respectivamente.

Apesar de o clima ser mais leve (Cook é considerado conciliador enquanto Jobs era tirano) e o caixa estar cheio, a Apple sente a falta de Jobs quando o assunto é inovação.

Mesmo sendo um sucesso de vendas, o iPhone 5 não trouxe novidades de impacto. O mesmo se estende a linha de software e outros produtos.

Com isso, aumenta a responsabilidade do vice-presidente de design da Apple, Jony Ive, responsável pelo design de produtos com o Macbook, o iPod, o iPhone e o iPad.

Resta saber por quanto tempo Cook e Ive serão capazes de manter excitados - e fiéis - a legião de seguidores da maçã.

AddThis Social Bookmark Button

Apple publica vídeo em homenagem a Steve Jobs

A Apple publicou nesta sexta-feira (05) um vídeo em homenagem ao seu cofundador Steve Jobs, que morreu há um ano.
O vídeo reúne falas e fotos de Jobs durante apresentações de produtos como o iMac, o iPod, o iPhone. “Esta no DNA da Apple. Tecnologia sozinha não é suficiente. É o casamento da tecnologia com as artes, com as humanidades”, diz ele em parte do vídeo.

O vídeo é seguido de uma mensagem do atual CEO da Apple, Tim Cook, para Jobs.
“Espero que todos reflitam em relação à vida extraordinária e nos muitos caminhos que Steve trilhou para um mundo melhor”, diz.
“Uma das maiores coisas que Steve deu ao mundo foi a Apple. Nenhuma outra empresa tem inspirado tanta criatividade ou estabelecido padrões tão altos para si mesma. Nossos valores se originaram com ele e seu espirito estará para sempre na fundação da Apple. É uma homenagem maravilhosa para a memória de Steve e tudo o que ele representava”, afirmou Cook.

Seve Jobs morreu no dia de 5 de outubro de 2011, aos 56 anos, após conviver por anos com um câncer no pâncreas identificado em 2004.

 

AddThis Social Bookmark Button

Samsung vai processar Apple por iPhone 5

 

 

São Paulo – A Samsung anunciou que entrou com uma ação contra a Apple na Justiça da Califórnia acusando a empresa liderada por Tim Cook de infringir oito patentes registradas pela sul-coreana em seu iPhone 5.

"Nós sempre preferimos competir no mercado com produtos inovadores, e não nos tribunais. No entanto, a Apple continua a tomar medidas agressivas legais que limitam a concorrência", afirmou a Samsung em comunicado.

“Dessa forma, nos sobram poucas alternativas para proteger nossa propriedade intelectual a não ser tomar as medidas necessárias”, completou.

A corte de San Juan, na Califórnia, é a mesma que condenou a Samsung a pagar 1 bilhão de dólares em indenizações à Apple em agosto deste ano.

A nova ofensiva surge em um momento favorável para a Samsung.

Ontem, uma corte de Nova York liberou a sul-coreana para voltar a vender seu tablet Galaxy Tab 10.1 no país.

O júri concluiu que a Samsung não violou as patentes registradas pela Apple. Dessa forma, a Samsung defendeu que a suspensão deveria ser retirada.

fonte

 

AddThis Social Bookmark Button

Apple anuncia novo iPhone com tela maior e conexão à rede 4G

 




iPhone 5, anunciado pela Apple (Foto: Laura Brentano/G1)iPhone 5, anunciado pela Apple (Foto: Laura Brentano/G1)

Apple anunciou, nesta quarta-feira (12), seu novo smartphone, o iPhone 5. O aparelho é a sexta geração do iPhone, cujo primeiro modelo foi lançado em 2007, e vem com uma tela maior do que a versão anterior e compatibilidade com a rede 4G.

O iPhone 5 será vendido por preços que variam de US$ 199 (modelo de 16 GB) a US$ 399 (64 GB). Com o lançamento, o modelo anterior (iPhone 4S) passa a ser vendido por US$ 99. Os valores divulgados pela Apple são para aparelhos comprados atrelados a um plano de operadora.

Phil Schiller, executivo da Apple responsável por iOS, fala do novo iPhone (Foto: Laura Brentano/G1)Phil Schiller, executivo da Apple responsável por
iOS, fala do novo iPhone (Foto: Laura Brentano/G1)

A tela do iPhone 5, agora com 4 polegadas, também vem com resolução de 1136x640 e 326 ppi (esse número representa o número de pontos colocados na tela, em relação a cada polegada). Ele chega 18% mais fino (7.6 milímetros de espessura) e 20% mais leve (112 gramas) que o modelo anterior, o iPhone 4S. "É o smartphone mais fino do mundo", disse Phil Schiller, executivo da Apple. "É o produto mais bonito que nós já criamos."

Outra novidade do aparelho é o chip A6, um novo processador, que, segundo a Apple, é duas vezes mais rápido que seu antecessor, e possui dois núcleos de processamento.

Além disso, a empresa diz que ele é mais eficiente na administração da energia do aparelho. Schiller promete que a bateria do iPhone 5 dura oito horas na navegação 3G ou 4G, dez horas com o aparelho conectado a uma rede Wi-Fi ou exibindo vídeos e aguenta 40 horas tocando música.

A câmera principal do celular (a traseira) segue com 8 MP, como na versão anterior do iPhone, mas agora traz um recurso que permite fazer fotos panorâmicas sem a necessidade de um aplicativo extra --as panorâmicas chegam a ter a resolução de 28 MP, diz a Apple. Uma ferramenta da nova câmera também permite bater fotos enquanto o usuário grava um vídeo.

O iPhone 5 também virá equipado com um microfone extra --agora são três: um na base, um na frente e outro na parte traseira.Já a câmera frontal, usada para fazer videochamadas, agora é de 1,2MP grava vídeos com resolução 720p e tem um recurso de detecção facial.

Os interessados em adquirir o novo smartphone poderão se registrar para fazer a compra a partir de 14 de setembro. A previsão de chegada às lojas é 21 de setembro, para um grupo de países formado por Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França e Alemanha --o Brasil fica de fora da lista inicial. A Apple promete levar o aparelho a outros 100 países até dezembro.

Novo adaptador do iPhone (Foto: Laura Brentano/G1)Novo conector do iPhone(Foto: Laura Brentano/G1)

Novo conector
Confirmando uma série de rumores, a Apple anunciou uma mudança no conector que liga o smartphone aos computadores e ao seu carregador. O novo conector se chama Lightning e é 80% menor que seu antecessor, segundo a companhia.

A Apple também afirmou que fornecerá acessórios para que os modelos antigos possam ser adaptados ao novo formato. A entrada de fone de ouvido também mudou de lugar, e agora fica na base do smartphone, ao lado do conextor Lighting.

Novo sistema operacional
A Apple apresentou oficialmente o novo sistema operacional para dispositivos móveis, o iOS 6. O software já havia sido disponibilizado, em fase de testes, aos desenvolvedores.

Uma das grandes mudanças trazidas pelo iOS 6 é a troca do serviço de mapas: o Google Maps foi trocado por uma ferramenta própria da Apple, que traz funções como a navegação em 3D pelo caminho fornecido pelo usuário. No aplicativo de mapas da Apple, é possível navegar pelas ruas como se navega pelo Street View, do Google.

O iCloud também ganhou uma atualização, com um recurso que permite que o usuário compartilhe suas abas abertas no navegador do seu desktop com o celular. Será possível compartilhar a navegação não apenas do Safari (programa desenvolvido pela Apple), mas também do Chorme (do Google) e do Firefox, a partir da API do serviço.

A Siri, assistente comandada por voz do iPhone, também ganhou melhorias. Agora, a assistente traz informações mais completas e com novas informações gráficas ao receber comandos, diz a Apple. Segundo a empresa, você pode reservar restaurantes via Siri, abrir aplicativos por voz e até postar diretamente informações no Facebook a partir do assitente pessoal.

Cartão SIM
Um dos detalhes importantes do novo aparelho que não foi abordado durante o evento foi a respeito do chip de operadora do smartphone. De acordo com o site da companhia, o iPhone utiliza um outro padrão cartão, chamado Nano-SIM, o que torna o smartphone incompatível com chips Micro-SIM utilizados no país.

Por ser menor do que seu antecessor, as operadoras brasileiras terão que se adaptar ao novo padrão para vender o smartphone no Brasil, e quem comprar o aparelho fora país não conseguirá utilizar o chip micro-SIM. O G1 procurou Oi, Vivo, Tim e Claro, para saber se elas já possuem o novo chip, mas não teve resposta até o fechamento desta reportagem.

Novos iPods
A segunda parte do evento da Apple foi toca dedicada à música. A companhia anunciou umredesenho do seu iPod Nano e uma atualização grande no iPod touch.

O iPod Nano foi completamente redesenhado e deixou de ser um "quadrado". O tocador de músicas agora conta com uma tela de 2,5 polegadas, botão na parte frontal, é 38% mais fino (5.4 milímetros) e tem controles físicos na lateral. O tocador de músicas também ganhou um sintonizador de rádio FM e Bluetooth.

O novo Nano será vendido em oito cores diferentes em apenas uma capacidade de armazenamento, de 16GB. No site da Apple, o aparelho tem preço de R$ 759 e estará em pré-venda a partir do próximo dia 14/9.

Novo iPod nano (Foto: Laura Brentano/G1)Novo iPod nano (Foto: Laura Brentano/G1)

O iPod touch também recebeu mudanças e chegou à sua quinta geração. O tocador de músicas agora tem tela Retina do tamanho e tipo da do novo iPhone 5, mas pesa apenas 88 gramas, com 6,1 milímetros de espessura.

A câmera trasiera do Touch ganhou flash e agora faz gravação de vídeos em Full HD, além da câmera dianteira iSight, para realizar videochamadas em HD. O aparelho funciona com o processador A5 dual-core -- o iPhone 5 vem com um processador mais potente. A bateria suporta até 40 horas de música ou oito horas de vídeo. Na loja brasileira o iPod de quinta geração terá dois modelos de capacidade (32GB e 64GB) com preços de R$ 1279 e R$ 1679 respectivamente.

Leia tudo sobre os novos iPods aqui.

Evento de lançamento
Tim Cook, o CEO da companhia, deu início ao evento. Ele começou seu discurso falando das novas lojas da Apple, incluindo uma em Barcelona (Espanha). "Nós passamos dois anos e meio trabalhando em cada detalhe da loja", disse. Segundo ele, trata-se de uma das maiores lojas da companhia em todo o mundo.

O CEO da companhia, que substituiu Steve Jobs, também contou que 17 milhões de iPads foram vendidos entre abril e junho deste ano --segundo ele, trata-se de um recorde. "Vendemos mais iPads do que qualquer fabricante de PCs vendeu em toda a sua linha de PCs", afirmou. Ele contou que, em 2011, o iPad tinha 62% do mercado e agora alcançou 68%.

História do iPhone (Foto: Arte G1)

 

 

AddThis Social Bookmark Button

Novo iPhone da Apple precisa deslumbrar em um mercado já lotado

 

O novo iPhone 5 precisa ser mais que apenas outro smartphone, considerando que carrega o peso do futuro da Apple sobre sua esguia estrutura.

Cinco anos após o primeiro iPhone revolucionar o setor de telefonia móvel, analistas afirmam que a Apple parece estar na defensiva, agora que a Samsung Electronics e outras rivais estão chegando primeiro ao mercado com celulares dotados de telas maiores ou que operam em redes sem fio mais rápidas.

A Apple tentará recuperar o terreno perdido nesta quarta-feira, 12, quando revelará o mais recente iPhone, que deve ser o primeiro modelo da empresa com tecnologia 4G e tela de quatro polegadas, ante as 3,5 polegadas do modelo atual.

Mas resta determinar se o presidente-executivo, Tim Cook, tem alguma surpresa guardada na manga e se demonstrará algum novo avanço tecnológico capaz de colocar o iPhone 5 muito acima da concorrência.

"Eles estão na mira de muitas empresas já há muito tempo", disse Shaw Wu, analista da Stern Agee, sobre a Apple. "Antes, eram eles que estavam chegando a um novo mercado. Agora, estão na defensiva."

As ações da Apple, em geral, sobem antes de grandes lançamentos de produtos e caem em seguida. Nas últimas seis semanas, subiram 15 %, atingindo recorde na segunda-feira.

A Apple vem enfrentando pressão competitiva desde o primeiro iPhone, em 2007, ainda que as rivais tenham mudado, com antigas líderes como Research In Motion e Nokia em crise. A Samsung se tornou a principal rival da Apple nos últimos anos.

Embora nenhuma empresa tenha conseguido reproduzir até o momento a perfeita integração entre hardware e software oferecida pela Apple, o Google Android se tornou o sistema operacional para aparelhos móveis mais usado no planeta e a Samsung lidera em termos de unidades vendidas.

O lançamento do iPhone 5, nesta quarta-feira, também virá apenas dias depois que a Nokia mostrou seu primeiro celular equipado com o novo software Microsoft Windows, o carro-chefe de uma nova família de aparelhos.

"Ampliar a participação de mercado está ficando difícil", disse a analista Carolina Milanesi, da Gartner Research.

 

AddThis Social Bookmark Button

Fotos do ator Ashton Kutcher como Steve Jobs

RIO - O ator Ashton Kutcher está rodando o filme “Jobs” na universidade Loyola Marymount, em Los Angeles. Mesmo com um esquema de segurança armado em torno da equipe, não foi possível impedir que imagens do astro caracterizado como o ex-presidente da companhia Apple, falecido em outubro do ano passado, pudessem vazar na internet. Os próprios alunos da universidade estão clicando o set de filmagem e divulgando as fotos nas redes sociais. Veja o ator em cena na galeria ao lado.

Ator Ashton Kutcher é clicado no set do filme ‘Jobs’ por alunos da universidade Loyola Marymount Foto: Reprodução da internet

Mais fotos

 

AddThis Social Bookmark Button

Apple segue dominando lista de marcas mais valiosas do mundo

 

A Apple se manteve como marca mais valiosa do mundo ao longo do ano passado, quando empresas do setor de tecnologia dominaram o ranking, de acordo com estudo publicado nesta terça-feira, 22. A Petrobras é única brasileira na lista das 100 maiores, ocupando a 75ª posição, com valor de US$ 10,5 bilhões.

O valor da marca Apple subiu 19% no ano passado, para US$ 183 bilhões, ou 37% de seu valor de mercado, de acordo com o BrandZ, estudo anual sobre as marcas mais conhecidas realizado pela companhia de pesquisas de mercado Millward Brown.

O Facebook, com valor de mercado de US$ 82 bilhões após a oferta pública inicial de ações na semana passada, teve a mais alta ascensão entre os 100 primeiros colocados, com salto de 74% no valor de marca, para US$ 33,2 bilhões, o que deixou a rede social em 19º lugar.

Sete das dez marcas mais conhecidas são de empresas associadas à tecnologia, embora McDonald's e Coca-Cola tenham se mantido respectivamente em quarto e sexto lugares.

O diretor-executivo da consultoria responsável pela pesquisa, Nick Cooper, disse que a força das marcas é um indicador do papel central e transformador que a tecnologia desempenha na vida contemporânea.

"(A tecnologia) é onipresente, e há muito entusiasmo e novidades. É nesse o ramo em que tudo acontece, o que tende não só a aumentar a demanda e melhorar o desempenho financeiro como a ampliar o papel da marca", afirmou Cooper.

A Millward Brown, parte do grupo publicitário mundial WPP, considera o valor financeiro da companhia ou da parte dele que responde pela marca e combina esse cálculo à capacidade da marca de gerar fidelidade.

Marcas de tecnologia corporativa também ocuparam posições importantes na lista, com a IBM trocando de posição com o Google e subindo ao segundo posto, enquanto a Microsoft manteve o quinto lugar.

AddThis Social Bookmark Button

Apple terá iPad mini no terceiro trimestre, dizem chineses

A Apple prepara uma versão menor do iPad e já encomendou 6 milhões de unidades à Foxconn, diz o site chinês Netease

São Paulo — Os velhos rumores de que a Apple prepara um modelo menor do iPadvoltaram a aparecer nesta semana. O site chinês Netease diz que a Apple já encomendou 6 milhões de unidades do tablet à Foxconn e que vai lançá-lo no terceiro trimestre. Diz, ainda, que o tablet vai custar entre 249 e 299 dólares.

Esse rumor vem se juntar a muito outros sobre o mesmo tema. No final de março, o site japonêsMacotakara disse que a Apple estava negociando, com fornecedores asiáticos, a compra de telas de cristal líquido de 5 polegadas. O site diz que a informação veio de uma “confiável fonte chinesa”.

Uma tela assim poderia ser tanto de um mini-iPad como de um iPhone 5 grande. Seria um dispositivo híbrido entre tablet e smartphone, no estilo do Galaxy Note, daSamsung, que tem tela de 5,3 polegadas. Lançado em outubro do ano passado, o Galaxy Note já teve mais de5 milhões de unidades vendidas. Mas outros rumores descrevem o iPad mini como tendo tela de 7 ou 8 polegadas.

Sabe-se que Steve Jobs abominava os tablets pequenos, como a versão inicial do Galaxy Tab, da Samsung, com tela de 7 polegadas. O sucesso do Kindle Fire, da Amazon, pode ter feito a Apple repensar a questão. Lançado no final do ano passado, esse tablet baratinho está disponível apenas nos Estados Unidos. Mesmo assim, é o segundo mais vendido no mundo.

Há quem acredite que um tablet pequeno e barato permitiria, à Apple, contra-atacar concorrentes como a Amazon (e, futuramente, o Google) no único semento do mercado de tablets onde a empresa da maçã não é líder: o dos modelos baratinhos, que custam até 250 dólares nos Estados Unidos.  Mas a estratégia da Apple sempre tem sido concentrar-se em produtos mais avançados e rentáveis. E os rumores sobre o iPad mini têm sido tão discordantes entre si que é melhor não apostar muito neles.

AddThis Social Bookmark Button
Mais Artigos...
Portuguese Chinese (Traditional) English French German Italian Japanese Korean Russian Spanish